REVISTA
 

 
 
Efetividade de um Programa de Prevenção do Excesso de Peso e da Obesidade em Crianças de Idade Pré-Escolar
Henriques, Adriana, *, ESEL
Bacatum, Cláudia, *, ESEL
Artigo

INTRODUÇÃO:

Nos países desenvolvidos 10% das crianças em idade pré-escolar tem excesso de peso e 60% das crianças obesas permanecerão adultos obesos, aumentando a possibilidade de morte prematura e de comorbilidades no futuro (IOTF, 2005). O sedentarismo infantil, com baixa atividade física e os consumos elevados de fast-food e alimentos hipercalóricos, assim como a situação socioeconómica das famílias contribui para o risco de obesidade infantil (Lobstein T.et al, IOTF , 2005; Larse L. et al, 2006; Rama P., J. Breda ; Rita A. 2010) .

Portugal é um dos cinco países europeus com prevalência elevada de obesidade infantil, em que 19% das crianças com idade pré-escolar tem excesso de peso e no que respeita às crianças em idade escolar 30% tem excesso de peso e 11% são obesas (COSI , 2008; Plataforma Contra a Obesidade, 2010) . Atualmente, 13,9% das crianças portuguesas são obesas e 31,6% tem excesso de peso (COSI, 2015).

A criança de idade pré-escolar geralmente já desenvolveu um padrão comportamental, ao nível de comportamentos de saúde, contudo é também neste período que a vida da criança se desenrola em contextos diversos que se assumem como privilegiados para aquisição de novas competências e aprendizagens, constituindo-se assim uma oportunidade para a promoção de comportamentos saudáveis (Lucas L.; Freucht A., 2010; Pender N., 2012). A promoção de hábitos alimentares e de atividade física saudáveis junto das crianças de idade pré-escolar tem a possibilidade de contribuir para a diminuição do excesso de peso e da obesidade infantil. Estratégias educativas facilitam a mudança de comportamento desenvolvendo a capacidade de autocuidado, facilitando a tomada de decisão, o controlo da ação que permite agir no sentido de comportamentos saudáveis (Mellin , A., Lenner R.A. , 2008; Wyatt , K. M. et al , 2011; Greening , L. et al , 2011; Tucker , S. et al, 2011).

Palavras-chave: promoção da saúde; crianças idade pré-escolar; obesidade; excesso de peso; escola

QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO:

Qual a efetividade de um programa de prevenção do excesso de peso e da obesidade em crianças de idade pré-escolar desenvolvido na escola?

MÉTODO E PROCEDIMENTOS METODOLOGICOS:

Desenvolvimento e avaliação de uma intervenção complexa [Intervenções Complexas - Medical Research Council (2008)/CReDECI (2012)] com a finalidade de avaliar a efetividade de um programa de prevenção do excesso de peso e da obesidade em crianças de idade pré-escolar em contexto escolar.

Fase I: DESENVOLVIMENTO

1. identificação da evidência cientifica – revisão sistemática da literatura

2. teoria de suporte – Modelo de Promoção da Saúde (Nola Pender)

3. modelagem

● Constituir e treinar a equipa de intervenção (educadores de infância, enfermeiros de saúde escolar e estudante do curso de licenciatura em enfermagem)

● Identificar os componentes da intervenção de prevenção do excesso de peso e obesidade nas crianças de idade pré-escolar em contexto da escola

● Avaliar a efetividade de um programa de prevenção do excesso de peso e obesidade nas crianças de idade pré-escolar em contexto da escola

Fase 2 - VIABILIDADE E PILOTAGEM

ESTUDO 1 (estudo transversal descritivo) CARACTERIZAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E DO PADRÃO ALIMENTAR E ATIVIDADE FÍSICA DOS ALUNOS QUE FREQUENTAM O ENSINO PRÉ-ESCOLAR DAS ESCOLAS SELECIONADAS E SUAS FAMÍLIAS

OBJETIVOS: Identificar os hábitos alimentares e de atividade física dos alunos que frequentam o ensino pré-escolar das escolas selecionadas e suas famílias; Avaliar as medidas antropométricas (índice de massa corporal, índice de massa gorda e medida abdominal) dos alunos que frequentam o ensino pré-escolar das escolas selecionadas

ESTUDO 2 (focus group): ACEITAÇÃO DO PROGRAMA EDUCACIONAL DE PREVENÇÃO DO EXCESSO DE PESO E OBESIDADE PARA CRIANÇAS DE IDADE PRÉ-ESCOLAR EM CONTEXTO DA ESCOLA

OBJETIVO: Conhecer a aceitação e viabilidade do programa pelos alunos que frequentam o ensino pré-escolar da escola selecionada e suas famílias

ESTUDO 3 (estudo quasi-experimental - estudo piloto): PROGRAMA EDUCACIONAL DE PREVENÇÃO DO EXCESSO DE PESO E OBESIDADE PARA CRIANÇAS DE IDADE PRÉ-ESCOLAR EM CONTEXTO DA ESCOLA

Escola de intervenção - desenvolvimento de programa educativo de promoção de hábitos de atividade física e alimentação saudáveis

Escola de controlo - programa standard preconizado pelo Ministério da Educação e Ciência e programa nacional de saúde escolar preconizado pela Direção Geral da Saúde

CONSIDERAÇÕES ÉTICAS: Estudo aprovado pela Comissão de Ética para a Saúde da ARSLVT, Ministério da Educação e da Ciência, Comissão Nacional de Proteção de Dados, Conselho Pedagógico do Agrupamento de Escolas, Consentimento Livre e Esclarecido dos Encarregados de Educação.

REFERÊNCIAS

Childhood Obesity Surveillance Initiative – COSI Portugal 2008 (2010). Ministério da Saúde. Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge, Direção Geral da Saúde.

Childhood Obesity Surveillance Initiative – COSI Portugal 2013 (2015). Ministério da Saúde. Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge, Direção Geral da Saúde.

DGS (2015). Alimentação saudável em Números – Programa nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Direção de Serviços de Informação e Análise.

International Obesity Task Force (2005). Disponível em: http://www.iotf.org

Greening, L. et al (2011). Efficacy of a school-based program in a rural southern community: TEAM Mississipi project. Obesity, volume 19, number 16, june 2011.

Larse et al (2006). Childhood Obesity. Prevention practices of nurse practioners. Journal of the American Academy of Nurse Practioners, 18, 70-79.

Lobstein T. et al (2004). Obesity in children and young people: a crisis in public health. The International Association for the Study of Obesity. Obesity reviews 5 (Suppl. 1).

Lucas, L.; Feucht, A. (2010). Nutrição na Infância. In Mahan K.; Escott-Stump S. - Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 12ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda., 222-245.

Mellin, A.; Lenner R. A. (2008). Prevention of further weight gain in overweight school children, a pilot study. Scandinavian journal of caring sciences DOI 10.1111/j. 1471-6712.2008.00651.x.

Pender, N. (2012). The Health Promotion Model – Manual. Disponível em: http://nursing.umich.edu/faculty-staff/nola-j-pender

Rama, P.; Breda, J.; Rito, A. (2010) – Estatuto socioeconómico e o excesso de peso numa população escolar infantil em Portugal. Nutrícias. Associação Portuguesa dos Nutricionistas, 18-20.

Tucker, S. et al (2011). A School Based Community Partnership for Promoting healthy habits for life. Journal of Community Health, 36: 414-422 DOI 10.1007/s 10900-010-9323-9.

Wyatt, K. M. et al (2011). The development, feasibility and acceptability of school-based obesity prevention: results from three phases of piloting. Births Medical Journal Open. 1e000026. Doi: 10.1136/bmjopen-2010-000026