REVISTA
 

 
 
Tornar-se mãe de um segundo filho: uma revisão scoping
Rebelo Botelho, Maria Antónia, *, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
Guarda da Venda Rodrigues, Joana Rita, *, Assistente convidada ESEL,
Resumo
Enquadramento: tornar-se mãe de um segundo filho representa um período singular e de transformação, que exige da mulher uma transição para novos papéis, com implicações na saúde e qualidade de vida. Contudo, a evidência que retrata esta transição releva-se dispersa na literatura. Objetivos: identificar e mapear a evidência científica disponível sobre a transição da mulher ao tornar-se mãe de um segundo filho.
Método de revisão: foi efetuada uma revisão scoping que seguiu a metodologia preconizada pelo Joanna Briggs Institute. Resultados: foram identificados 9 estudos publicados entre 1997 e 2013, em que os seus participantes e o momento de colheita de dados diferiram; nenhum foi realizado em Portugal. Num dos estudos, a transição é caracterizada, pelas mulheres participantes, pela procura de um novo equilíbrio e, nos restantes, emergem questões de género e conjugalidade. Conclusão: os nove estudos incluídos foram publicados ao longo de dezasseis anos, apresentando alguns elementos caracterizadores desta transição. Mais estudos devem ser realizados para
compreender aprofundadamente a perspetiva das mulheres quando se tornam mães pela segunda vez.
Palavras-Chave
parentalidade; revisão; mães; segundo filho
Abstract
Background: Becoming the mother of a second child represents a singular and transformational period that demands a transition to new roles with repercussions in health and quality of life. However, the evidence portraying this transition in the current literature is scarce and sparse. Objective: mapping and describing the women’s experience in becoming the mother of a second child. Review method: a scoping review was conducted
using the Joanna Briggs Institute methodology. Results: nine studies published between 1997 and 2013 have been identified, the participants and the time of data collection differ; none of which were carried out in portugal. In one study women characterize this transition as a quest for a new balance and the remaining are related to gender and conjugality issues. Conclusion: the nine studies considered in the review were published over a period of 16 years, presenting some elements that characterize this transition. Further studies should be carried out to understand woman’s perspectives in depth when they become mothers for the second time.
KeyWords
parenting; review; mothers; second child