REVISTA
 

 
 
Motivos que levam as mulheres a optarem por uma interrupção voluntária da gravidez: uma scoping review
Palma, Sara, Departamento de Enfermagem de Saúde Materna, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
Presado, Maria Helena, Departamento de Enfermagem de Saúde Materna, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
Resumo
Problemática: A intenção de interromper a gravidez de forma voluntária constitui um motivo frequente de
recorrência aos serviços de saúde. Para introduzir mudanças estruturais, adequadas e ajustadas às necessidades de cuidados de
enfermagem especializados e à prevenção da sua ocorrência, é necessário conhecer as causas que levam as mulheres a optarem
por interromper a gravidez de forma voluntária. Objetivo: Pretendemos identificar os principais motivos para a Interrupção
Voluntária Gravidez, descrever a evidência disponível, clarificar os conceitos envolvidos e os limites conceptuais do tópico
de estudo (JBI, 2015). Estratégia de pesquisa: De acordo com as orientações do Joanna Briggs Institute (2015) procedemos ao
desenvolvimento de uma scoping review, tendo-se definido a questão de pesquisa segundo a mnemónica População, Conceito,
Contexto: Quais os motivos que levam a mulher a optar por uma Interrupção Voluntaria de Gravidez? A pesquisa foi efetuada
na plataforma EBSCO da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, nas bases de dados CINAHL, MedLine e na plataforma Google
Scholar, decorrendo entre 29 a 31 de março de 2019. Foram incluídos estudos em português, inglês e espanhol. Foram excluídos
estudos que se debruçassem sobre a interrupção da gravidez por motivos médicos, devido a ações de eficácia medicamentosa
e mulheres vítimas de abuso sexual. Resultados: Resultaram 709 artigos primários e maioritariamente na língua inglesa. Após
aplicação dos critérios escolhidos, foram selecionados quinze estudos, publicados entre 2000 e 2018 (sete quantitativos, quatro
qualitativos e quatro mistos). Conclusões: A maioria dos estudos não refletem a realidade portuguesa e estão concentrados
em populações especificas (adolescentes). Os motivos apontados para a sua realização foram os fatores económicos (falta de
emprego ou emprego precário, restrições sobre rendimentos, habitação precária e filhos suficientes) e os sociais (serem muito
jovens, relacionamentos instáveis, sem motivação para o projeto de maternidade, desejam concluir os estudos e falta de apoio
do progenitor). As condições socioeconómicas, não sendo os únicos motivos, são determinantes na tomada de decisão das
mulheres em interromper a gravidez. Percebemos que independentemente das razões apontadas para a interrupção voluntária
da gravidez o que está na sua génese é a falha do método contracetivo, o seu uso incorreto e a não adesão à contraceção. Assim,
consideramos ser necessário desenvolver estratégias e criar grupos de trabalhos entre os Centros Hospitalares, a Administração
Regional Saúde e Grupos de Apoio na Comunidade, que possam ir ao encontro das necessidades destas mulheres com vista à
diminuição do número de interrupções voluntárias da gravidez.
Palavras-Chave
Aborto; Aborto Induzido; Interrupção voluntária de gravidez; Gravidez; Motivo; Tomada de decisão
Abstract
Background: A very frequent reason people recur to health services is the intention to voluntarily
terminating of pregnancy. To introduce structural, suitable and adjusted changes to the special nursing cares
needs and to prevent its occurrence, we need to know the reasons why women choose to terminate a pregnancy.
Objective: We intend to identify the main reasons for the Voluntary Interruption of Pregnancy, describe the
available evidence, clarify the concepts involved and the conceptual limits of the study topic (JBI, 2015). Search
Strategy: According to the guidelines of the Joanna Briggs Institute (2015), we proceeded to develop a scoping
review, and the research question was defined according to the mnemonic Population, Concept, Context: What
are the motives that lead women to opt for a Voluntary Termination of Pregnancy? The research was taken at the
platform EBSCO from the Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, in the databases CINAHL, MedLine and at the
Google Scholar platform, between 29 and 31 of March 2019. It includes studies in Portuguese, English and Spanish
languages. It excludes articles regarding the termination of a pregnancy because of medical issues, due to actions
of medication effectiveness, women who have been victims of sexual abuse. Results: Resulted 709 articles, all
primary and in the English language. After reading, to identify the chosen criteria, fourteen studies were selected,
published between 2000 and 2018 (seven quantitative studies, four mixed studies and four qualitative studies).
Conclusions: They do not reflect the Portuguese reality, and are focused on a specific population (teenagers).
The most mentioned reasons for carrying out a VTOP were economic factors (lack of employment or precarious
employment, restrictions on income, poor housing, enough children and unmotivated for maternity planning)
and social factors (being very young, unstable relationships and lack of parental support). So we can determine
that social-economic conditions are determinant in the decision of women to terminate a pregnancy. We perceive
that regardless of the reasons indicated for the voluntary interruption of pregnancy what is in its origin is the
failure, incorrect use and non-adherence to contraception, so, we consider it necessary to launch strategies and
working groups between Hospital, Regional Health Administration and Support Groups in the Community to
meet the needs of these women in order to reduce the number of abortions.
KeyWords
abortion; Induced Abortion; Voluntary Termination of Pregnancy; Pregnant; Motifs; Decision-making.