REVISTA
 

 
 
Gestão recíproca das emoções e da informação no cuidado à criança e família: proposta de um algoritmo de atuação em enfermagem
Diogo, Paula, Departamento de Enfermagem da Criança e do Jovem, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
Martinho, Liliana, Serviço de Pediatria, Centro Hospitalar do Oeste – Unidade de Torres Vedras
Resumo
A experiência de hospitalização que a criança e a sua família vivenciam poderá, por um lado, espoletar estados emocionais perturbadores e impeditivos ao entendimento e assimilação da informação transmitida e, por outro lado, a informação insuficiente também poderá conduzir à falta de sentimento de controlo e emocionalidade negativa. Considerando a reflexão sobre a prática sustentada em evidência científica, emergiu a proposta de um algoritmo de intervenção em enfermagem. Este algoritmo pretende dar contributos efetivos para a prática quotidiana dos enfermeiros. Pretende-se que a sua consulta, rápida e estruturante, seja direcionada à intervenção de enfermagem no que diz respeito à gestão recíproca das emoções e da informação na abordagem à criança e família.
O seu desenvolvimento foi subsidiado por conceções teóricas dominantes como o modelo de sistemas de Betty Neuman, a teoria do cuidar de Jean Watson e orientações específicas de cuidados pediátricos, nomeadamente os cuidados centrados na família, a parceria de cuidados, os cuidados não traumáticos e o modelo de trabalho emocional em enfermagem pediátrica. Procedeu-se à utilização sistemática do algoritmo em diversas situações de cuidados e diversos contextos de pediatria, nomeadamente em internamento cirúrgico e urgência, o que permitiu o seu aperfeiçoamento enquanto instrumento de enfermagem. Através do mesmo, é possível a identificação das vivências emocionais potencialmente intensas e as respostas emocionais negativas, selecionando e adequando as estratégias de enfermagem à singularidade do cliente pediátrico.
Palavras-Chave
criança; família; enfermagem pediátrica; emoções; gestão da informação
Abstract
The experience of hospitalization which the child and his family live can trigger disturbing emotional states that impede understanding and assimilation of the information provided, in turn, insufficient information may also lead to a lack of control and negative emotionality. Considering the reflection on the practice supported by scientific evidence, this proposal for an algorithm for nursing intervention emerged. This one algorithm intends to make effective contributions to the everyday practice of nurses. It is intended that its quick and structuring consultation is directed to the nursing intervention for reciprocal management of emotions and information in approaching the child and family.
Your development was based on dominant theoretical conceptions such as the Betty Neuman systems model, the Jean Watson’s theory of care, and specific guidelines of the pediatric care, such as family centered care, care partnership, non-traumatic care and the model of emotional work in pediatric nursing.
The algorithm was systematically used in different care situations and in different pediatric contexts, namely in surgical hospitalization and pediatric emergency, which allowed its improvement as a nursing instrument.
Through this, it is possible to identify potentially intense emotional experiences and negative emotional responses, selecting and adapting the nursing strategies to the singularity of the pediatric client.
KeyWords
child; family; pediatric nursing; emotions; information management