| 113
Pensar Enfermagem / v.27 n.01 / outubro 2023
DOI: 10.56732/pensarenf.v27i1.278
Artigo de Revisão)
Como citar este artigo: Vidotto PC, Aroni P, Malaquias TSM, Barreto MFC, Haddad MCFL. Custo dos
cuidados paliativos oncológicos em serviços de assistência domiciliar: revisão integrativa. Pensar Enf
[Internet]. 2023 Out; 27(1):113-121. Available from: https://doi.org/10.56732/pensarenf.v27i1.278
Custo dos cuidados paliativos oncogicos em
serviços de assistência domiciliar: revisão integrativa
Cost of oncological palliative care in home care
service: integrative review
Resumo
Objetivo
Averiguar os artigos científicos relacionados ao custo do Serviço de Assistência
Domiciliária para pacientes em cuidados paliativos oncológicos.
Métodos
Revisão integrativa da literatura, que incluiu artigos primários indexados nas bases de dados
PubMed, Scopus, Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Embase, Science Direct e Scielo,
utilizando os descritores neoplasms; oncology; home care; palliative care; costs analysis;
costs.
Resultados
Foram incluídos dez estudos, sendo três do Reino Unido, três da Espanha, seguidos de dois
da Itália, um dos Estados Unidos da América e um do Canadá. Os estudos demonstraram
menor custo no internamento domiciliário com acompanhamento de equipas de saúde,
inclusive quando analisado pacientes oncológicos em fase terminal e prognóstico da doença.
Conclusão
Evidenciou-se que os custos da assistência prestada a pacientes em cuidados paliativos
oncológicos são menores em ambiente domiciliário do que a nível hospitalar.
Palavras-chave
Oncologia; Serviços de Assistência Domiciliar; Cuidados Paliativos; Custos e Análise de
custo.
Abstract
Objective
Investigate scientific articles related to the cost of the Home Care Service for patients
undergoing oncology palliative care.
Methods
Integrative literature review, which included primary articles indexed in the PubMed,
Scopus, Virtual Health Library (VHL), Embase, Science Direct and Scielo databases, using
the descriptors: neoplasms; oncology; home care; palliative care; cost analysis; costs.
Results
Ten studies were included, three from the United Kingdom, three from Spain, followed by
two from Italy, one from the United States of America and one from Canada. Studies have
shown lower costs for home hospitalization with monitoring by healthcare teams, including
when analyzing terminally ill cancer patients and disease prognosis.
Patrícia Christovão Vidotto
1
orcid.org/0000-0003-1516-7236
Patricia Aroni
2
orcid.org/0000-0001-5092-2714
Tatiana da Silva Melo Malaquias
3
orcid.org/0000-0001-5541-441X
Maynara Fernanda Carvalho Barreto
4
orcid.org/0000-0002-3562-847
Maria do Carmo Fernandez Lourenço Haddad
5
orcid.org/0000-0001-7564-8563
1
Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Programa de
Pós-Graduação em Enfermagem, Universidade
Estadual de Londrina, Londrina, Brasil.
2
Enfermeira. Doutora em Enfermagem.
Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual
de Londrina, Londrina, Brasil.
3
Enfermeira. Doutora em Enfermagem.
Departamento de Enfermagem, Universidade
Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, Brasil.
4
Enfermeira. Doutora em Enfermagem.
Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual
do Norte do Paraná, Bandeirantes, Brasil.
5
Enfermeira. Doutora em Enfermagem.
Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual
de Londrina, Londrina, Brasil.
Autor de correspondência
Tatiana da Silva Melo Malaquias
E-mail: tatieangel@yahoo.com.br
Recebido: 15.05.2023
Aceite: 12.09.2023
114 | Malaquias, T.
Artigo de Revisão
It was evidenced that the costs of care provided to patients
undergoing oncological palliative care are lower in a home
environment than at a hospital level.
Keywords
Medical Oncology; Home Care Services; Palliative Care;
Costs and Cost Analysis.
Introdução
O cancro está entre as principais Doenças Crónicas Não
Transmissíveis (DCNT) e representa a segunda principal
causa de morte no mundo, em que uma em cada seis mortes
são relacionadas à doença. Entre os tipos mais comuns de
cancro destaca-se o de pulmão (2,09 milhões de caso), mama
(2,90 milhões de casos), colorretal (1,8 milhões de casos),
próstata (1,28 milhão de casos), cancro de pele não-
melanoma (1,04 milhão de casos) e estômago (1,03 milhão
de casos).
1
No que se refere à gravidade das DCNT, uma análise do
Banco Económico Mundial estimou que países como Brasil,
China, Índia e Rússia perdem, anualmente, mais de 20
milhões de anos produtivos de vida em razão das DCNT.
2
Nesta perspectiva, as doenças oncológicas representam um
grande problema de Saúde blica, pelo significativo custo
no tratamento, hospitalização e necessidade da continuidade
de cuidados aos indivíduos em cuidados paliativos.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em
conceito definido em 1990 e atualizado em 2002 e 2017,
3
cuidados paliativos referem-se a ações que melhoram a
qualidade de vida de pacientes e familiares que enfrentam
problemas associados a doenças que ameaçam a vida. Possui
por objetivo prevenir e aliviar o sofrimento, por meio da
identificação precoce, avaliação correta e tratamento da dor
e de outros problemas físicos, psicossociais ou espirituais.
Destaca-se que os planos de contingência com foco na
desospitalização e otimização de recursos financeiros, são de
extrema relevância, pois constituem-se em estratégias que
visam a análise dos recursos e de ações em saúde que
favoreçam o planeamento adequado, bem como o
direcionamento aos vários níveis de atenção à saúde.
4
A assistência ou atenção domiciliar (AD) corresponde ao
conjunto de ações de saúde, integrada a Rede de Assistência
à Saúde (RAS), para garantir o seguimento dos cuidados ao
indivíduo que necessita de atendimento. Este serviço está
disponível no Brasil pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por
meio de equipas multiprofissionais e também é oferecido
por outros prestadores de serviços privados, conhecidos
como serviços de home care.
5
Dentro deste cenário e perspectiva, no Brasil a Resolução
41/2018 definida junto a Comissão Intergestores Tripartite
do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)
e secretarias municipais, dispôs sobre as diretrizes para a
organização dos cuidados paliativos, à luz da atenção
continuada integrada, no âmbito do Sistema Único de Saúde
(SUS). De acordo com o Art. 5º, os cuidados paliativos
devem ser oferecidos em qualquer lugar da rede de atenção
à saúde, sem ônus ao paciente e sua família, notadamente na
atenção básica, atenção domiciliaria, atenção ambulatorial,
urgência/emergência e atenção hospitalar.
6
Em todo o mundo, os custos dos cuidados de saúde são
onerosos. Quando se trata de cuidados a nível hospitalar,
são ainda mais elevados. O doente em cuidados paliativos
oncológicos, dependendo da evolução da doença, sofre
várias readmissões. Quando é possível diminuir as taxas de
readmissão e transferir os cuidados para os cuidados
domiciliários, pode levar a uma diferença significativa nas
despesas hospitalares.
7
O custo é a soma dos gastos com pessoal, material, estrutura
física e equipamentos utilizados e deve ser entendido como
uma importante ferramenta de gestão para a análise de
desempenho, produtividade e qualidade dos serviços.
8
A primeira etapa do processo consiste na verificação dos
custos dos serviços, procedimentos e tratamentos de saúde.
De acordo com a análise realizada, as avaliações
farmacoeconómicas m diferentes denominações, dentre
ela está: o custo-minimização, o custo-efetividade, o custo-
utilidade e o custo-benefício.
9
Neste sentido, a avaliação
económica em saúde assume um papel de destaque,
exigindo dos gestores o enfrentamento de novos desafios na
busca contínua da eficiência e eficácia das atividades. A
qualidade associada ao uso racional dos recursos deve ser o
novo desafio para os gestores dos serviços de saúde.
10-11
Portanto é fundamental mensurar os custos em saúde, para
uma análise criteriosa do cenário dos serviços para
fundamentar a tomada de decisão dos gestores na seleção de
ferramentas e modelos de gestão que qualifiquem o cuidado
prestado a população envolvida, principalmente a pessoa
com cancro em cuidado paliativo. Diante do exposto, o
objetivo deste estudo foi averiguar os artigos científicos
relacionados ao custo do Serviço de Assistência Domiciliária
para pacientes em cuidados paliativos oncológicos.
Métodos
Trata-se de uma Revisão Integrativa da Literatura que seguiu
seis etapas padronizadas:
12
na etapa I, estabeleceu-se a
definição do problema da pesquisa e a questão norteadora,
utilizando o acrónimo PICo,
13
onde o “P refere-se a
população de estudo ou o paciente, ou o problema abordado
(Population/Patient/Problem), que nesta revisão refere-se a
pacientes com cancro; o “I” é o fenómeno de Interesse
(Interest), no qual foram os custos do serviço assistência
domiciliária para cuidados paliativos e o “Co” ao contexto
(Context), em que foi o cuidado domiciliário. Deste modo,
a questão norteadora da pesquisa foi: Qual o custo dos
cuidados domiciliários para pacientes em cuidados paliativos
oncológicos?
Na etapa II definiu-se os critérios de inclusão, que foram
artigos indexados, textos completos sem definição de
temporalidade ou país de publicação, nos idiomas
Conclusion
Pensar Enfermagem / v.27 n.01 / outubro 2023 | 115
DOI: 10.56732/pensarenf.v27i1.278
Artigo de Revisão
português, espanhol e inglês, relacionados à questão
norteadora e desenvolvidos em seres humanos, sem
restrição da faixa etária em cuidados oncológicos paliativos.
Foram excluídos estudos que abordassem cuidados
paliativos na área hospitalar, cartas ao editor, duplicatas,
artigos de opinião e revisão de qualquer natureza, reflexão
teórica, comentários, ensaios, notas prévias, editoriais,
cartas, teses e dissertações, trabalhos de conclusão de curso,
manuais, resumos em anais ou periódicos, dossiês,
documentos oficiais, políticas de saúde, relatórios de gestão
hospitalar, livros e capítulos de livro.
A recolha de dados ocorreu em outubro de 2021 nas bases
de dados e bibliotecas eletrónicas: Scopus; EMBASE;
Science Direct, PubMed (MedLine), Scielo, Web of Science
e na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), com os descritores
apresentados pela estratégia de pesquisa na Tabela 1.
Tabela 1 String de busca para identificar estudos sobre os custos dos cuidados paliativos oncológicos em Serviços de
Atenção Domiciliária.
O processo de busca, seleção e análise dos estudos foi
realizado por dois revisores independentes, com o auxílio
do software gerenciador de referências Rayyan e eventuais
discordâncias foram resolvidas por um terceiro revisor.
Os estudos foram analisados descritivamente por meio de
tabelas. A classificação quanto ao nível de evidência foi
realizada de acordo com Melnyk e Fineout-Overhol,
14
que
estabelece níveis de 01 a 07: nível 1, a evidência provém de
uma revisão sistemática ou meta-análise de todos os ensaios
clínicos randomizados controlados relevantes ou de
diretrizes clínicas baseadas em revisões sistemáticas de
ensaios clínicos randomizados controlados; nível 2,
evidência derivada de pelo menos um ensaio clínico
randomizado controlado bem delineado; nível 3, evidência
obtida de ensaios clínicos bem desenhados sem
randomização; nível 4, evidência de estudos de coorte e
caso-controle bem delineados; nível 5, evidência de uma
revisão sistemática de estudos descritivos e qualitativos;
nível 6, evidência derivada de um único estudo descritivo
ou qualitativo; nível 7, elementos de prova provenientes do
parecer das autoridades e/ou do relatório dos comités de
peritos.
Por tratar-se de revisão integrativa, a pesquisa não foi
submetida ao Comité de Ética em Pesquisa.
Resultados
Foram identificados 84 artigos de acordo com a estratégia
de pesquisa inicial. Destes, cinco eram duplicados,
resultando em um total de 79. Os artigos que abordaram a
questão da pesquisa foram 18; e após a leitura dos textos
completos, foram selecionados dez estudos para integrar
esta revisão.
A Figura 1 representada pelo Preferred Reporting Items for
Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA)
15
apresenta o fluxo de seleção dos estudos.
Base de Dados e
Bibliotecas
Estratégia de busca
Quantidade inicial de artigos
PubMed (Medline)
“cost analysis AND home care AND palliative
cancer patients”
2
Scopus
“cost analysis AND home care AND palliative
cancer patients”
11
BVS
(Visita domiciliar OR Atendimento domiciliar)
AND (Tratamento paliativo OR Cuidado Paliativo
OR Assistência paliativa) AND (Oncologia OR
Cancro OR Neoplasia) AND (Análise de custo OR
Custos)
9
Embase (Elsevier)
'cost analysis' AND ' home care' AND palliative
AND care
29
Scielo
(cost analysis) AND (home care) AND (palliative
care)
3
Science Direct
cost analysis' AND 'home care' AND palliative
AND care
30
116 | Malaquias, T.
Artigo de Revisão
Figura 1 Fluxograma do processo de identificação, seleção, elegibilidade e inclusão dos estudos.
Fonte: Adaptado do PRISMA 2020
Para a análise e síntese dos dez artigos selecionados, utilizou-
se uma tabela sinóptica contendo título, ano e país e outro
com objetivo(s), método, resultados e
recomendações/conclusões (tabela 2).
16
Tabela 2 Caracterização dos dez artigos primários incluídos na revisão integrativa de acordo com o título, ano e país
Título
Ano
País
A comparative assessment of home versus hospital comprehensive treatment for advanced cancer patients.
1986
EUA*
A comparative cost analysis of terminal cancer care in home hospice patients and controls
1987
Reino Unido
A cost-minimization study of cancer patients requiring a narcotic infusion in hospital and at home
1991
Reino Unido
Home palliative care as a cost-saving alternative: Evidence from Catalonia
2001
Espanha
Cost analysis of a domiciliary program of supportive and palliative care for patients with hematologic malignancies.
2007
Itália
Use of resources and costs of palliative care with parenteral fluids and analgesics in the home setting for patients
with end-stage cancer
2010
Reino Unido
Resource utilization and cost analyses of home-based palliative care service provision: The Niagara West End-of-
Life Shared-Care Project
2012
Cana
Actividad asistencial y costes en los últimos 3 meses de vida de pacientes fallecidos con cáncer en Euskadi
2017
Espanha
Comparación directa de los costes sanitarios en los 2 últimos meses de vida en pacientes oncológicos a partir de
certificados de defunción en un área periurbana según reciban o no atención en su domicilio por un equipo de
cuidados paliativos
2018
Espanha
Early Palliative Home Care versus Hospital Care for Patients with Hematologic Malignancies: A Cost-
Effectiveness Study
2020
Itália
Estudos identificados na base
de dados
(84)
Exclusão de estudos
duplicados
(5)
Estudos selecionados para
leitura de títulos e resumos
(79)
Estudos excluídos após
leitura
(61)
Estudos elegíveis para leitura
de texto completo
(18)
Estudos excluídos após
leitura (08)
1. Abordagem de
cuidados paliativos
vertente hospitalar
(05)
2. Texto completo não
encontrado (03)
Estudos incluídos na revisão
(10)
Identificação
Seleção
Elegibilidade
Inclusão
Pensar Enfermagem / v.27 n.01 / outubro 2023 | 117
DOI: 10.56732/pensarenf.v27i1.278
Artigo de Revisão
Legenda: EUA* Estados Unidos da América
Os artigos foram categorizados por tema: comparação do
custo na atenção domiciliária X serviço hospitalar; custo nos
últimos dias-meses de vida; e custo conforme prognóstico
da doença. Destaca-se o quantitativo de artigos publicados
internacionalmente: três do Reino Unido,
17-19
três da
Espanha,
20-22
um dos Estados Unidos da América,
23
dois da
Itália,
24-25
um do Canadá, 26 iniciando as publicações em
1986.
A Tabela 3 apresenta dados referentes a análise de custo do
paciente oncológico em serviço de atenção domiciliária.
Tabela 3 Publicações selecionadas referentes à análise de custo de pacientes oncológicos em serviço de atenção domiciliária
comparada ao serviço hospitalar
Base
Título /
Nível de Evidência
Periódico/
Ano/País/DOI
Objetivo
Principais resultados
Scopus
A comparative
assessment of home
versus hospital
comprehensive treatment
for advanced cancer
patients.
Evidência - IV
J Clin Oncol. 1986.
Estados Unidos
DOI:
https://doi.org/10.1200/
JCO.1986.4.10.1521
Comparar prospectivamente os
custos do tratamento
domiciliário e hospitalar para
pacientes com cancro avançado
O tratamento no domicílio
apresentou custo diário de US$
256 inferior ao custo hospitalar
Science Direct
A comparative cost
analysis of terminal
cancer care in home
hospice patients and
controls.
Evidência - IV
Journal of Chronic
Diseases. 1987. Reino
Unido
DOI:
https://doi.org/10.1016
/0021-9681(87)90132-9
Comparar os custos dos últimos
90 dias de vida em 98 pacientes
terminais com cancro atendidos
por um serviço de atenção
domiciliária versus o
atendimento hospitalar
Os custos dos cuidados médicos
e de enfermagem nas 24 horas
no domicílio e suporte para suas
famílias apresentaram um custo
médio de US$ 6.477 versos US$
6.502 da diária hospitalar
Scopus
A cost-minimization
study of cancer patients
requiring a narcotic
infusion in hospital and
at home.
Evidência - III
Journal of Clinical
Epidemiology. 1991.
Reino Unido
DOI:
https://doi.org/10.1016/
0895-4356(91)90043-9
Comparar o custo em dólares
canadenses referente ao manejo
do cancro em pacientes que
necessitaram de infusões de
narcóticos no hospital e no
domicílio
Os custos médicos foram em
média de C$ 369,72 / dia de
internação hospitalar e C$ 150,24
/ dia de atendimento domiciliário
(economizando C$ 219,48 / dia,
em 1988).
Os custos de narcóticos foram
iguais para qualquer paciente em
ambos os ambientes
PubMed
Use of resources and costs
of palliative care with
parenteral fluids and
analgesics in the home
setting for patients with
end-stage cancer.
Evidência - IV
Ann Oncol. 2010. Reino
Unido
DOI:
https://doi.org/10.1023/
A:1008364401890
Identificar o custo dos
atendimentos do domiciliário e
o custo do paciente
hospitalizado
O custo diário para cada paciente
ficou entre US$ 250 e US$ 300,
metade dos quais são para
despesas hospitalares. Um grupo
de controle hipotético (n=25) foi
construído com base na prática
atual e revisão de prontuários
custaram cerca de US$ 750 /
dia. Com um período médio de
tratamento de 16 dias, isso
significa uma economia de US$
8.000 por paciente
Scopus
Resource utilization and
cost analyses of home-
based palliative care
service provision: the
Niagara West End-of-
Life Shared-Care
Project.
Evidência - IV
Palliative Medicine. 2012.
Canadá
DOI:10.1177/026921631
1433475
Analisar o custo do paciente
oncológico em atendimento
domiciliário
Os custos para todos os serviços
relacionados ao paciente (em
2007) foram C$ 1.625.658,07 ou
C$ 17.112,19 / paciente, sendo
C$ 117,95 / dia. Observou-se
que o atendimento domiciliário é
menos dispendioso atendimento
hospitalar
Scopus
Early Paliative Home
Care versus Hospital
Care for Patients with
Hematologic
Malignancies: A Cost-
Journal of palliative
medicine 2020.
Italia
Comparar os custos e os
resultados entre um
atendimento domiciliário
paliativo precoce e o
atendimento hospitalar para
pacientes paliativos
A assistência domiciliária gerou
uma economia semanal de
2.314,9 € para o provedor de
saúde, com um custo de 85,9 €
para a família, e foi custo-efetiva
para prevenção de infecções
118 | Malaquias, T.
Artigo de Revisão
Effectiveness Study.
Evidência - III
DOI:
https://doi.org/10.1089/
jpm.2020.0396
hematológicos iniciais ou em
fase terminal
Na Tabela 4 são apresentadas as publicações conforme
categorização, referentes aos pacientes paliativos no fim de
vida, comparado aos custos do paciente paliativo no
hospital.
Tabela 4 Publicações selecionadas referentes a análises dos custos nos últimos dias-meses de vida do paciente com doença
oncológica em serviço de atenção domiciliária
Base
Título /
Nível de Evidencia
Periódico/Ano/País/
DOI
Objetivo
Principais resultados
Scopus
Home palliative care as a
cost-saving alternative:
Evidence from Catalonia.
Evidência - IV
Palliative Medicine.
2001. Espanha
DOI:
https://doi.org/10.119
1/02692160167832025
0
Comparar os recursos
assistenciais
consumidos durante o
último mês de vida de
pacientes em
tratamento paliativo
que faleceu de cancro
Os custos do atendimento hospitalar
foi 71% maior do que o atendimento
domiciliário
Scielo
Actividad asistencial y costes
en los últimos 3 meses de
vida de pacientes fallecidos
con cáncer en Euskadi.
Evidência - IV
Gaceta Sanitaria. 201.
Espanha
DOI:
https://dx.doi.org/10.1
016/j.gaceta.2016.06.00
5
Analisar a utilização de
recursos de saúde e
orçamento nos últimos
meses de vida da
população que morreu
de neoplasia maligna
no país Autônomo
Basco (Espanha)
Pessoas que morreram no hospital
tiveram um custo médio de 14.794
aproximadamente o dobro das pessoas
que morreram em casa, e 7.491
Science Direct
Comparación directa de los
costes sanitarios en los 2
últimos meses de vida en
pacientes oncológicos a partir
de certificados de defunción en
un área periurbana según
reciban o no atención en su
domicilio por un equipo de
cuidados paliativos
Evidência - IV
Medicina Paliativa.
2018. Espanha
DOI:
10.1016/j.medipa.2017.
05.003
Comparar os custos de
saúde do atendimento
nos últimos dois meses
de vida, dos pacientes
com doença
oncológica avançada, a
partir de atestados de
óbito, em uma área
metropolitana de
Madri, dependendo se
eles foram ou o
monitorados em casa
por uma equipe de
cuidados domiciliares
paliativos
O custo médio por pacientes foi de
3.158 , independente se monitorados
ou não por uma equipe de cuidados
paliativos
A Tabela 5 descreve o estudo que abordou o custo
conforme o prognóstico da doença.
Tabela 5 Publicação selecionada referente à análise de custo conforme prognóstico da doença oncológica em serviço de
atenção domiciliária
Base
Título /
Nível de
Evidencia
Periódico/Ano/País/D
OI
Objetivo
Principais resultados
Scopus
Cost analysis of a
domiciliary program of
supportive and
palliative care for
patients with
hematologic
malignancies.
Evidência - IV
Haematologica. 2007. Itália
DOI:
https://doi.org/10.3324
/haematol.10324
Analisar a utilização
de recursos e os
custos de um
programa de
cuidados paliativos
domiciliares para
quatro diferentes
grupos, subdivididos
de acordo com o
estado da neoplasia
hematológica
O custo do programa de atenção domiciliária
foi menor do que os encargos, mas excedia as
tarifas distritais de pacientes com cancro. Em
pacientes hematológicos, os custos diferem de
acordo com o estado da doença e requisitos de
transfusão
Pensar Enfermagem / v.27 n.01 / outubro 2023 | 119
DOI: 10.56732/pensarenf.v27i1.278
Artigo de Revisão
Discussão
Os resultados dos estudos demonstram que a
desospitalização de pacientes em cuidados paliativos deve
ser prevista por meio de aspectos económicos descritivos e
qualitativos. Precisa basear-se na troca e discussão de casos
em equipas multidisciplinares, com a participação do
paciente e da família, no período que antecede a alta
hospitalar, procurando contemplar as possíveis
necessidades, caracterizando, desta forma, um processo
contínuo, organizado e estruturado. Assim, a utilização
dessas condutas possibilitaria atender a todos os elementos
necessários para a implementação do procedimento e
solucionar as expectativas do paciente e de sua família sobre
o cuidado domiciliário.
27
Alguns estudos também reforçam que o custo-efetividade
e o custo da utilidade são maiores quando se compara a
assistência domiciliar e hospitalar, tanto para o paciente
quanto para a família, enfatizando que a qualidade de vida
dos pacientes e o apoio familiar são maiores.
25
evidências de que os custos dos cuidados paliativos
domiciliares são inferiores aos custos da assistência
hospitalar, uma vez que se observou que os cuidados
realizados pelas equipas no domicílio contribuem para
reduzir as taxas de readmissão hospitalar e o tempo médio
de permanência dos pacientes no hospital, além de atenuar
o número de intervenções e complicações decorrentes da
internamento, tais como infeções nosocomiais.
28
Um estudo realizado na Itália demonstrou que os custos
dos cuidados paliativos domiciliares para pacientes com
neoplasias hematológicas também são menores do que os
custos do atendimento hospitalar padrão.
26
É importante destacar que, para essa modalidade de
cuidado, o consentimento do paciente e/ou familiar é de
extrema importância e, apesar da possibilidade de morte
ocorrer no domicílio, é necessário que, durante o período
de cuidado, o paciente e a família sejam capazes de
desenvolver a capacidade de lidar com tal situação.
O plano de cuidados, elaborado pela equipa, deve orientar
a família e os cuidadores sobre como cuidar do paciente,
pois uma das grandes vantagens observadas no
atendimento em domicílio é o fato de este permitir ao
indivíduo ter as suas necessidades atendidas na medida de
suas preferências, sem ter de seguir a rigidez de regras e
horários de um hospital, além de poder desfrutar da vida
em família.
2
Em cidades da Espanha, a média custo por paciente em um
Programa d’Atenció Domiciliària i Equips de Suport
(PADES) é substancialmente menor do que no grupo não
PADES, com um aumento de 71%.19 Assim como o
acompanhamento, o custo dos pacientes que faleceram no
hospital foi de 14.794 , quase o dobro daquelas que
faleceram em casa, conforme avaliação de custo realizado
(7.491 €).
21
Em um estudo realizado no Brasil,
29
relacionando o perfil
de pacientes assistidos com os custos da assistência
domiciliária e na ocorrência de internações hospitalares, os
resultados apontam que o custo médio paciente/dia do
atendimento domiciliário foi de R$ 28,26-DP4,10 (US$
12.03 DP1.74), enquanto o custo médio paciente/dia de
internamento hospitalar foi de R$294,46 -DP308,69 (US$
125.30 dp131.36), ou seja, reafirmam que o paciente em
cuidados domiciliários de maneira geral, tende a ser menor.
A modalidade da atenção domiciliária relativa aos cuidados
paliativos faz parte da agenda de discussão da política de
saúde para os países latino-americanos que, sendo
justificada pelos altos custos das internações hospitalares,
procura saída para otimização dos recursos financeiros. Se,
por um lado, a atenção domiciliária pode diminuir gastos
hospitalares, de outro, pode aumentar os custos do cuidado
em saúde na família. Pesquisas mostram que as famílias
latinas que usam exclusivamente sistemas públicos para o
cuidado dico são aquelas com maior vulnerabilidade
económica.
30
Os dados verificados nos estudos favorecem o cuidado
paliativo oncológico no domicílio, pois além dos custos
serem menores, o paciente encontra-se em ambiente
familiar, perto dos seus entes queridos, onde poderá sentir-
se mais confortável e seguro quando recebe o cuidado.
Assim, é importante que os profissionais e futuros
profissionais de saúde possam ser capacitados a partir de
sua formação para atuar no cuidado domiciliar de pacientes
em cuidados paliativos oncológicos, com uma visão para
além do processo saúde-doença, e compreendê-lo em seu
contexto biopsicossocial.
Sugere-se que novas pesquisas possam ser desenvolvidas,
por meio de estudos mais abrangentes, que comparem os
custos da assistência domiciliária e hospitalar para pacientes
em cuidados paliativos oncológicos, para subsidiar a
formulação de políticas públicas efetivas que reforcem a
assistência domiciliária e a desospitalização.
Conclusão
Os resultados dos estudos apresentados nesta revisão
apontam que os custos do atendimento ao paciente
oncológico no ambiente domiciliário são menores do que
nos hospitalares, independentemente da fase da doença.
A assistência domiciliária também pode ser eficiente na
qualidade do acompanhamento ao paciente em seus
últimos dias de vida, desde que seja possível para a família
(cuidador) oferecer suporte emocional e infraestrutura
adequada, bem como tenha o adequado acompanhamento
de uma equipa multidisciplinar, favorecido por Políticas
Públicas que reforcem a assistência domiciliária e a
desospitalização de pacientes em cuidados paliativos
oncológicos.
120 | Malaquias, T.
Artigo de Revisão
Limitações do estudo
Como limitação para o desenvolvimento desta revisão
podemos destacar a escassez de publicações voltadas aos
custos relacionados dos cuidados paliativos oncológicos na
assistência domiciliária, impactando na generalização dos
resultados para outras regiões que desempenham este tipo
de assistência.
Contribuições autorais
PCV: Conceção e desenho do estudo; Recolha de dados;
Análise e interpretação dos dados; Redação do manuscrito;
Revisão crítica do manuscrito.
PA: Conceção e desenho do estudo; Análise e interpretação
dos dados; Redação do manuscrito; Revisão crítica do
manuscrito.
MFCB: Conceção e desenho do estudo; Análise e
interpretação dos dados; Redação do manuscrito; Revisão
crítica do manuscrito.
TSMM: Conceção e desenho do estudo; Análise e
interpretação dos dados; Redação do manuscrito; Revisão
crítica do manuscrito.
MCFLH: Conceção e desenho do estudo; Recolha de
dados; Análise e interpretação dos dados; Redação do
manuscrito; Revisão crítica do manuscrito.
Conflitos de interesse
Nenhum conflito de interesse foi declarado pelos autores.
Referências
1. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Câncer.
[Internet] Washington: OPAS; 2020 [citado 09 de maio de
2023]. Disponível em:
https://www.paho.org/pt/topicos/cancer
2. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da
Silva. ABC do cancro: abordagens básicas para o controle
do câncer. 6. ed. rev. atual. Rio de Janeiro: INCA, 2020.
[citado 09 de maio de 2023]. 112p. Disponível em:
https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//m
edia/document/livro_abc_6ed_0.pdf
3. World Health Organization (WHO). Palliative care.
[Internet]. Geneva: World Health Organization; 2020
[citado 09 de maio de 2023]. Disponível em:
https://www.who.int/news-room/fact-
sheets/detail/palliative-care
4. Ministério da Saúde (Brasil). Instituto Nacional do
Câncer (INCA). A avaliação do paciente em cuidados
paliativos. [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2022 [citado
09 de maio de 2023]. 284 p. Disponível em:
https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/me
dia/document/completo_serie_cuidados_paliativos_volu
me_1.pdf
5. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção
Especializada à Saúde. Departamento de Atenção
Hospitalar, Domiciliar e de Urgência. Atenção Domiciliar
na Atenção Primária à Saúde [internet]. Brasília: Ministério
da Saúde; 2020 [citado 02 de maio de 2022]. 98 p.
Disponível em:
https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_do
miciliar_primaria_saude.pdf
6. Ministério da Saúde (Brasil). Resolução 41, de 31 de
outubro de 2018. Dispõe sobre as diretrizes para a
organização dos cuidados paliativos, à luz dos cuidados
continuados integrados, no âmbito Sistema Único de Saúde
(SUS) [Internet]. Diário Oficial da União. 2018 Nov 23
[citado 09 de maio de 2023]; 225 (secção 1): 276. Disponível
em: https://www.in.gov.br/materia/-
/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/51520746
/do1-2018-11-23-resolucao-n-41-de-31-de-outubro-de-
2018-51520710 - :~:text=Dispõe sobre as diretrizes
para,Único de Saúde (SUS)
7. Ribeiro SZRS, Vidal SA, Oliveira AG, Cavalcante MI,
Vicente CD, Lopes LGF. Custos e qualidade de vida de
pacientes em cuidados paliativos. Rev enferm UFPE online
[internet]. 2018 [citado em 28 de julho de 2023]; 12(6):1688-
95. Doi: http://dx.doi.org/10.5205/1981-8963-
v12i6a234832p1688-1695-2018
8. Etges APBS, Schlatter RP, Neyeloff JL, Araújo DV,
Bahia LR, Cruz L, Godoy MR et al. Estudos de
microcusteio aplicados a avaliações econômicas em saúde:
uma proposta metodológica para o Brasil. J Bras Econ
Saúde [internet]. 2019 [citado em 03 de novembro de
2021];11(1):87-95.
http://www.jbes.com.br/images/v11n1/87.pdf
9. Castilho V, Lima AFC, Fugulin FMT. Gerenciamento de
custos nos serviços de enfermagem. In: Kurcgant P.
Gerenciamento em enfermagem. 3. ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2016. p. 171-183.
10. Dallora MEL do V, Forster AC. A importância da
gestão de custos em hospitais de ensino: considerações
teóricas. Medicina (Ribeirão Preto) [internet]. 30 de junho
de 2008 [citado 10 de outubro de 2021];41(2):135-42.
Disponível em:
https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/259
11. Finger D, Souza JB, Madureira VSF, Geremia DS,
Tombini LHT. Redes de atenção à saúde: a percepção dos
gestores municipais. Rev Enferm Atenção Saúde [internet].
Pensar Enfermagem / v.27 n.01 / outubro 2023 | 121
DOI: 10.56732/pensarenf.v27i1.278
Artigo de Revisão
2021 [citado 20 de maio de 2022];10(1):e202105. Doi:
https://doi.org/10.18554/reas.v10i1.3669
12.Polit DF, Beck CT. Fundamentos da pesquisa em
enfermagem: avaliação de evidências para prática de
enfermagem. 9. ed. Porto Alegre: Artmed, 2018.
13. Stern C, Jordan Z, McArthur A. Developing the review
question and inclusion criteria. Am J Nurs [internet]. 2014
[citado 20 de outubro de 2021;114 (4):53-6. doi:
10.1097/01.NAJ.0000445689.67800.86 .
14. Melnyk BM, Fineout-Overholt E. Making the case for
evidence-based practice. In: Melnyk BM, Fineout-Overholt
E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide
to best practice. Philadelphia: Lippincot Williams &
Wilkins, 2005. p. 3-24.
15. Page M J, McKenzie J E, Bossuyt P M, Boutron I,
Hoffmann T C, Mulrow C D et al. The PRISMA 2020
statement: an updated guideline for reporting systematic
reviews. BMJ [internet]. 2021 [citado em 11 de novembro
de 2021]; 372(71) doi:10.1136/bmj.n71
16. Lopes CMM, Galvão CM. Surgical positioning:
evidence for nursing care. Rev. Latino-Am. Enfermagem
[internet]. 2010 [citado 20 de novembro de 2021]; 18 (2).
https://doi.org/10.1590/S0104-11692010000200021
17. Gray D, Macadam D, Boldy D. A comparative cost
analysis of terminal cancer care in home hospice patients
and controls. Journal Of Chronic Diseases [internet]. 1987
[citado 23 agosto de 2021]; 40 (8): 801-810. Disponível em:
https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/0
021968187901329?via%3Dihub .
18. Ferris FD, Wodinsky HB, Kerr IG, Sone M, Hume S,
Coons C. A cost-minimization study of cancer patients
requiring a narcotic infusion in hospital and at home. J Clin
Epidemiol [internet]. 1991 [citado 12 de janeiro de 2022];44
(3):313-27. doi: 10.1016/0895-4356(91)90043-9.
19. Witteveen PO, van Groenestijn MA, Blijham GH,
Schrijvers AJ. Use of resources and costs of palliative care
with parenteral fluids and analgesics in the home setting for
patients with end-stage cancer. Ann Oncol [internet]. 1999
[citado 21 de novembro de 2021];10 (2):161-5. doi:
10.1023/a:1008364401890.
20. Serra-Prat M, Gallo P, Picaza JM. Home palliative care
as a cost-saving alternative: evidence from Catalonia. Palliat
Med [internet]. 2001 [citado 21 de novembro de
2021];15(4):271-8. doi: 10.1191/026921601678320250.
21. Nuño-Solinísa R, Molinab EH, Floresb SL, Mendíac
JFO, Cabrera-León A. Actividad asistencial y costes en los
últimos 3 meses de vida de pacientes fallecidos con cáncer
en Euskadi. Gaceta Sanitaria [internet]. 2017 [citado 10 de
outubro de 2021];31(6):524-530.
https://doi.org/10.1016/j.gaceta.2016.06.005
22. Miguel C, Piedra MR, Pérez MG, Ruiz AJG, Babarro
AA. Comparación directa de los costes sanitarios en los
2últimos meses de vida en pacientes oncológicos a partir de
certificados de defunción en un área periurbana según
reciban o no atención en su domicilio por un equipo de
cuidados paliativos. Medicina Paliativa [internet]. 2018
[citado 23 de novembro de 2021];25 (4):260-267.
https://doi.org/10.1016/j.medipa.2017.05.003
23. Vinciguerra V, Degnan TJ, Sciortino A, O'Connell M,
Moore T, Brody R, Budman D, Eng M, Carlton D. A
comparative assessment of home versus hospital
comprehensive treatment for advanced cancer patients. J
Clin Oncol [internet]. 1986 [citado 12 de novembro de
2021];4(10):1521-8. doi: 10.1200/JCO.1986.4.10.1521
24. Cartoni C, Breccia M, Giesinger JM, Baldacci E,
Carmosino I, Annechini G et al. Early palliative home care
versus hospital care for patients with hematologic
malignancies: a cost-effectiveness study. Journal of
Palliative Medicine [internet.] 2021 [citado 4 de novembro
de 2021];24(6):887-893.
https://doi.org/10.1089/jpm.2020.0396 .
25. Cartoni C, Brunetti GA, D’Elia GM, Breccia M, Niscola
P, Marini MG, Nastri A et al. Cost analysis of a domiciliary
program of supportive and palliative care for patients with
hematologic malignancies. Haematologica [internet]. 2007
[citado 6 de novembro de 2021];92(5):666-673.
https://doi.org/10.3324/haematol.10324 .
26. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da
Silva. Perfil da assistência oncológica no Brasil entre 2012´
e 2016. Informativo Vigilância do Câncer [internet]. 2020
[citado 03 de outubro de 2021]7. Disponível em:
https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/me
dia/document/informativo-vigilancia-do-cancer-n7-
2020.pdf.
27. Klinger CA, Howell D, Marshall D, Zakus D, Brazil K,
Deber RB. Resource utilization and cost analyses of home-
based palliative care service provision: the Niagara West
End-of-Life Shared-Care Project. Palliat Med [internet].
2013 [citado 12 de novembro de 2021];27(2):115-22. doi:
10.1177/0269216311433475
122 | Malaquias, T.
Artigo de Revisão
28. Santos ML, Fonseca F N. Impacto econômico da
atuação de equipes consultoras de Cuidados Paliativos
inseridas em hospital. HRJ [internet]. 2021 [citado 24
janeiro de 2022];2(11):160-81. Disponível em:
https://escsresidencias.emnuvens.com.br/hrj/article/vie
w/134
29. Reis GFM, Soler ZASG , Jerico MC, Maloni AAS,
Jericó PC, Jericó PPC. Análise de custos de um serviço de
Atenção Domiciliar público e o perfil dos pacientes
assistidos. Cienc Cuid Saúde [internet]. 2021 [citado 13 de
janeiro de 2022];200. Disponível em:
https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaud
e/article/view/58959
30. Simão VM, Mioto RCT. O cuidado paliativo e
domiciliar em países da América Latina. Saúde debate
[internet]. 2016 [citado 20 de no