Vol. 19 N.º 1 (2015): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos originais

O papel das enfermeiras-visitadoras na profilaxia da tuberculose em Portugal na primeira metade do século XX

Ismael Cerqueira Vieira
Investigador, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, PhD

Publicado 22-08-2015

Palavras-chave

  • Tuberculose,
  • Profilaxia,
  • Enfermeiras visitadoras,
  • Portugal

Como Citar

Cerqueira Vieira, I. (2015). O papel das enfermeiras-visitadoras na profilaxia da tuberculose em Portugal na primeira metade do século XX. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 19(1), 19–30. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/101

Resumo

Uma parte substancial dos escritos acerca da história da tuberculose tem focado mais o papel das instituições do que dos agentes que nelas trabalham. Do ponto de vista histórico ainda não está devidamente avaliado o papel dos vários intervenientes no movimento de luta antituberculose. Se é possível falar com alguma propriedade do papel dos sanatórios, dispensários, associações e médicos, o papel das enfermeiras-visitadoras não foi devidamente clarificado nem demonstrado. Com este artigo pretendemos em primeiro lugar caracterizar o que foi o movimento de luta contra a tuberculose em Portugal na primeira metade do século XX ao nível da profilaxia e em segundo lugar mostrar o papel das enfermeiras-visitadoras dentro desse movimento ao nível da identificação de focos de tuberculose, educação higiénica, assistência familiar e promoção da vacinação BCG. Os resultados desta investigação mostraram um reduzido número de menções às enfermeiras-visitadoras nos principais periódicos médicos da altura, apesar do seu papel ser bastante relevante quer ao nível social quer ao nível sanitário. A sua ação direta junto dos doentes e famílias permitiu melhorar a higiene das habitações e dos costumes e conduzir os doentes e familiares às consultas dos dispensários quer para tratamento quer para rastreio. Já ao nível da vacinação não foi tão relevante como noutros países.

Downloads

Não há dados estatísticos.