Vol. 24 N.º 2 (2020): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos originais

A dependência em utentes submetidos a cirurgia da anca: um estudo descritivo num serviço de ortopedia

Carla Vilas Boas
Enfermeira; Licenciatura em Enfermagem, Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar de Setúbal, EPE
António Ramalho Mostardinha
Enfermeiro; Mestre em Saúde Pública; Doutoramento em Educação; Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF), Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro; Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar de Setúbal, EPE
Carlos Quitério
Enfermeiro especialista em Médico-Cirúrgica; Mestre em Enfermagem Médico Cirúrgica; Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar de Setúbal, EPE
Teresa Lopes
Enfermeira especialista em Reabilitação; Pós-Licenciatura de Especialização em Enfermagem de Reabilitação; Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar de Setúbal, EPE

Publicado 15-07-2021

Palavras-chave

  • Escalas,
  • Stress Psicológico,
  • Pais,
  • Recém-Nascido,
  • Neonatologia

Como Citar

Vilas Boas, C., Ramalho Mostardinha, A., Quitério, C., & Lopes, T. (2021). A dependência em utentes submetidos a cirurgia da anca: um estudo descritivo num serviço de ortopedia. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 24(2), 17–28. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/171

Resumo

Introdução: A dependência dos indivíduos é influenciada por diversos fatores intrínsecos e extrínsecos, sendo a cirurgia da anca um exemplo, apresentando um impacte na autonomia e na concretização das atividades de vida diária. Objetivo: descrever a relação entre o nível de dependência com o motivo/tipo de cirurgia com variáveis sociodemográficas, com variáveis relativas a morbilidades e variáveis relativas a risco de UPP e risco de nutrição em indivíduos submetidos a cirurgia da anca (traumatologia ou cirurgia eletiva). Metodologias: Estudo transversal, cuja amostra por conveniência foi composta por 98 indivíduos (71,1±10,6 anos e 53,1% mulheres) submetidos a cirurgia num hospital público da região de Lisboa e Vale do Tejo. A recolha de dados efetuou-se através de um questionário composto por variáveis sociodemográficas, relativas à cirurgia e ao estado de saúde (nível de dependência, risco de úlcera por pressão e risco nutricional). Correlações de Pearson e de Ponto Bisserial foram calculadas para avaliar as relações entre variáveis. Modelos de regressão hierárquica múltipla foram efetuados para avaliar as variáveis preditoras do nível de dependência. Resultados: Observa-se que o nível de dependência apresenta uma associação positiva significativa com o risco de UPP (r= 0,786) e com o risco nutricional (r=0,584). Ainda, a idade (β= -0,248; t=-3,940; p<0,001) e risco de UPP (β= 0,593; t=7,937; p<0,001) são preditores do nível de dependência do indivíduo. Conclusão: Pôde-se constatar que risco de desenvolvimento de UPP e o aumento da idade, são preditores de um maior nível de dependência. No entanto, a associação entre o motivo de cirurgia (traumatologia, eletiva) com o nível de dependência, risco de desenvolvimento de UPP e risco de nutrição não devem ser desconsideradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.