Vol. 24 N.º 2 (2020): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos de revisão

Trabalho emocional em enfermagem: uma revisão scoping sobre os contextos de cuidados pediátricos

Paula Diogo
Professor Coordenador, Doutoramento em Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa; Departamento de Enfermagem da Criança e do Jovem; Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Enfermagem
Ana Inês Costa
Enfermeira Especialista, Mestrado em Enfermagem; PhD stud; Especialista em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica, Fundação Nossa Senhora do Bom Sucesso; Escola Superior de Enfermagem de Lisboa - Departamento de Enfermagem da Criança e do Jovem; Membro da Área de Investigação Emoções em Saúde da ui&de/ESEL
Tânia Almeida
Enfermeira Especialista, Mestrado em Enfermagem; PhD stud; Especialista em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica, Hospital de Cascais Dr. José de Almeida; Membro da Área de Investigação Emoções em Saúde da ui&de/ESEL

Publicado 15-07-2021

Palavras-chave

  • Emoções,
  • Trabalho Emocional,
  • Trabalho com as Emoções,
  • Enfermagem Pediátrica,
  • Revisão Scoping

Como Citar

Diogo, P., Costa, A. I., & Almeida, T. (2021). Trabalho emocional em enfermagem: uma revisão scoping sobre os contextos de cuidados pediátricos. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 24(2), 43–64. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/173

Resumo

A pesquisa sobre o trabalho emocional em enfermagem é já evidente, mas é necessário explicitar este campo de intervenção nas suas áreas específicas, nomeadamente, a pediátrica que comporta vários contextos. A finalidade desta revisão scoping é identificar e sistematizar a publicação disponível nas ferramentas eletrónicas de pesquisa, sobre o trabalho emocional em enfermagem pediátrica, o foco do mesmo em diferentes contextos pediátricos, e que teorias, modelos, algoritmos e outras orientações para a prática o explicitam e sustentam. De acordo com a metodologia de Arksey & O’Malley (2005), identificaram-se 29 publicações para revisão, nas quais é relevante a literatura científica (n=19), sendo os contextos pediátricos mais estudados: serviço de internamento, unidade de cuidados paliativos e unidade de cuidados intensivos neonatais. Apesar da escassez da investigação, verifica-se que o trabalho emocional em enfermagem pediátrica é valorizado, e que a sua conceção conflui para um predomínio do enfoque no trabalho emocional intra, inter e extrapessoal (uma perspetiva integradora). Esta revisão identifica oportunidades de investigação e desenvolvimento da conceção do trabalho emocional em enfermagem, nos contextos de cuidados pediátricos, dado existirem lacunas significativas na pesquisa qualitativa e quantitativa, incluindo estudos mistos, bem como o desenvolvimento de modelos conceptuais e clínicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.