Vol. 13 N.º 2 (2009): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos de revisão

Prevenir a depressão pós-parto: uma análise ao conhecimento existente

Márcio Tavares
Escola Superior de Enfermagem de Ponta Delgada
Margarida Botelho
Centro de Saúde de Ponta Delgada

Publicado 31-12-2009

Palavras-chave

  • Depressão Pós-Parto,
  • prevenção,
  • revisão sistemática de literatura

Como Citar

Tavares, M. ., & Botelho, M. . (2009). Prevenir a depressão pós-parto: uma análise ao conhecimento existente. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 13(2), 19–29. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/31

Resumo

A Depressão Pós-Parto (DPP) é uma patologia do humor que afecta tanto a saúde da mãe, como o desenvolvimento do seu filho e tem um impacto negativo ao nível sócio-familiar. As manifestações desta situação clínica aparecem habitualmente quatro semanas após o parto, alcançando valores mais elevados nos primeiros seis meses, afectando cerca de uma em cada sete mulheres. Neste sentido, importa saber que intervenções são mais eficazes para a sua prevenção.

Pergunta: Para a prevenção da Depressão Pós-Parto nas puérperas, que intervenções no período pré-natal são mais eficazes?

Método: Síntese de resultados obtidos a partir de estudos identificados por recurso a metodologia baseada nos princípios de revisão sistemática para selecção e localização de estudos quantitativos e qualitativos.

Fontes de dados: Estudos publicados e indexados a bases de dados de pesquisa electrónica; artigos publicados em revistas portuguesas de investigação em enfermagem.

Resultados e síntese dos dados: Tendo em atenção os critérios de inclusão e exclusão definidos, foram identificados 8 estudos, cujos resultados foram agrupados em torno de quatro eixos: a) intervenções psicoterapêuticas, b) intervenções psicossociais, c) intervenções para a reestruturação dos serviços e d) outras intervenções. Os resultados demonstraram não haver consenso no que respeita às intervenções mais eficazes para a prevenção desta desordem do humor.

Conclusão: Embora tenham sido encontradas intervenções específicas para a prevenção da Depressão Pós-Parto que demonstrem resultados positivos, há que ter alguma reserva na sua recomendação. Os riscos resultantes da Depressão Pós-Parto são amplamente conhecidos, mas impõe-se a realização de maior pesquisa relativa às intervenções que poderão reduzir esta patologia com sucesso.

Downloads

Não há dados estatísticos.