Vol. 14 N.º 1 (2010): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos originais

Gestão do estado emocional da criança (dos 6 aos 8 anos) através da actividade de brincar: analisando o cuidado de enfermagem em contexto de internamento de pediatria*

Ana Margarida Pereira
Hospital Dona Estefânia
Joana Nunes
Hospital Fernando da Fonseca
Biografia
Séfora Teixeira
Hospital D. Estefânia
Paula Diogo
Escola Superior de Enfermagem de Lisboa; Investigadora da UIDE

Publicado 04-07-2010

Palavras-chave

  • criança hospitalizada,
  • cirurgia,
  • emoções,
  • brincar,
  • cuidados de enfermagem,
  • enfermagem pediátrica
  • ...Mais
    Menos

Como Citar

Pereira, A. M. ., Nunes, J. ., Teixeira, S. ., & Diogo, P. . (2010). Gestão do estado emocional da criança (dos 6 aos 8 anos) através da actividade de brincar: analisando o cuidado de enfermagem em contexto de internamento de pediatria*. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 14(1), 24–38. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/36

Resumo

O presente estudo, de abordagem qualitativa, visa compreender como o brincar integrado na prática de enfermagem pode ser usado na gestão do estado emocional da criança a viver uma experiência de hospitalização/cirurgia. Neste processo investigativo
recorreu-se ao diário de campo para descrever e analisar a própria prática de enfermagem associada ao fenómeno em estudo. A recolha dos dados foi realizada num serviço de internamento de pediatria cirúrgica de um hospital pediátrico de Lisboa, no período de Abril a Junho de 2008, a partir de interacções de cuidados com 9 crianças de idades compreendidas entre os 6 e os 8 anos. Os dados foram analisados segundo a técnica de análise de conteúdo, os quais revelaram um processo de gestão do estado emocional da criança, através da actividade de brincar, que implica as seguintes acções/interacções: promover o confronto adaptativo, favorecer o relaxamento, incrementar o sentimento de controlo, promover o sentimento de segurança, facilitar a aproximação, promover a expressão emocional, minimizar o sentimento de solidão, promover a distracção e desmistificar os medos. Conclui-se que a actividade de brincar é um instrumento terapêutico primordial em enfermagem pediátrica, na medida em que se revela um meio para favorecer o bem-estar das crianças, e por isso é sugestivo de contribuir para resultados terapêuticos. De facto, usado de modo intencional e sistemático promove a adaptação e aprendizagem das crianças numa experiência positiva de hospitalização/cirurgia.

 

* Monografia de final de Curso apresentada à Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Pólo Maria Fernanda Resende, no âmbito do 6º Curso de Licenciatura em Enfermagem, 2008.

Downloads

Não há dados estatísticos.