Vol. 18 N.º 1 (2014): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos originais

Enfermeiros e auxiliares portugueses assalariados em S. Jorge da Mina: Afonso Freyre, Enfermeyro; Inês, Fernanda, Beatriz e Catarina, pera servirem na enfermaria

Paulo Joaquim Pina Queirós
Professor Coordenador ESEnfC, PhD, Pós-doutorando no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar – Universidade do Porto (ICBAS-UP)

Publicado 01-10-2014

Palavras-chave

  • Enfermagem,
  • história de enfermagem,
  • pesquisa em enfermagem (Fonte: DeCs)

Como Citar

Pina Queirós, P. J. (2014). Enfermeiros e auxiliares portugueses assalariados em S. Jorge da Mina: Afonso Freyre, Enfermeyro; Inês, Fernanda, Beatriz e Catarina, pera servirem na enfermaria. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 18(1), 49–65. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/89

Resumo

Enfermeiros com funções específicas e assalariados, poderão ter surgido, em Portugal, no âmbito da criação de grandes hospitais, ligado à centralização régia e em ambiente da expansão. Encontramos referências a enfermeiros e auxiliares em S. Jorge da Mina, costa da Guiné, na passagem de quatrocentos para quinhentos do século passado. Efetuámos uma revisão da bibliografia historiográfica e de documentos, o que permitiu focar os seguintes pontos: A expansão, do mediterrâneo ao atlântico africano; S. Jorge da Mina, em finais de quatrocentos, um novo espaço; Centralização régia, na segunda fase da expansão e no controlo das instituições de assistência; Ouro, mas também escravos, missionação e outros tratos; Enfermeiros na Mina, cuidar da cura dos doentes. A pesquisa suscita-nos a seguinte síntese: O nível de especialização e diferenciação dos agentes de saúde acompanha a criação e centralização das instituições assistenciais em unidades de grande dimensão. Em África, numa feitoria, castelo-fortaleza, a organização do serviço de saúde é feito com assalariados régios, em instalações dedicadas e equipadas, enfermarias, com enfermeiros e auxiliares. Conhecemos o nome próprio das auxiliares e também o apelido do enfermeiro. Sabemos quanto ganhavam, da hierarquia existente, alguns materiais e meios disponíveis e alguma coisa do que faziam.

Downloads

Não há dados estatísticos.