Vol. 18 N.º 1 (2014): Revista Científica Pensar Enfermagem
Artigos de revisão

Efetividade dos programas de intervenção de e-Saúde em adolescentes obesos: revisão sistemática da literatura

Pedro Miguel Lopes de Sousa
Escola Superior de Saúde do IPL, MSc, RN

Publicado 01-10-2014

Palavras-chave

  • obesidade,
  • adolescência,
  • efetividade,
  • e-saúde,
  • Internet

Como Citar

Lopes de Sousa, P. M. (2014). Efetividade dos programas de intervenção de e-Saúde em adolescentes obesos: revisão sistemática da literatura. Pensar Enfermagem - Revista Científica | Journal of Nursing, 18(1), 27–39. Obtido de https://pensarenfermagem.esel.pt/index.php/esel/article/view/87

Resumo

A prevalência elevada de obesidade em adolescentes é um sério problema de saúde pública, constatando-se que as consequências para a saúde dos adolescentes tendem a perdurar na idade adulta. A problemática da obesidade assume um papel preponderante, sendo mesmo considerada como a epidemia do século XXI. Neste contexto, os enfermeiros podem ter um papel fulcral, dotando o utente de conhecimentos e capacidades que lhe permitam adaptar-se a novos estilos de vida e aderir a comportamentos saudáveis. A introdução de tecnologias da informação e comunicação no âmbito da saúde (e-saúde) traduz-se em potenciais benefícios para os cidadãos e para os prestadores de cuidados: redução dos custos, maior acessibilidade, relativo anonimato, capacidade de individualização dos programas de tratamento e possibilidade de manutenção de contacto prolongado.

Face ao contexto apresentado, procurou-se sistematizar o estado do conhecimento sobre a efectividade dos programas de intervenção de e-saúde na redução do peso em adolescentes obesos. Das referências inicialmente identificadas em diversas bases de dados online, foram selecionados quatro ensaios clínicos randomizados. Existem ainda poucos estudos realizados sobre o efeito das intervenções terapêuticas de e-saúde no processo de tratamento de adolescentes obesos. Ao todo foram estudados 299 adolescentes obesos, com idades entre os 11 e os 18 anos, sendo que os poucos estudos existentes foram realizados nos EUA. Os programas de intervenção variaram entre as 16 semanas e os 2 anos, incluindo diversas estratégias e abordando não só o indivíduo como a sua família. Apesar de nenhum estudo ter apresentado uma significativa redução do peso a longo-prazo, os resultados suportam o potencial das intervenções de e-saúde como um componente viável dos programas de gestão do peso e sublinham a necessidade de estudos adicionais para optimizar a Internet como um canal de comunicação efectivo para adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.